Loading...

Blog

ONDE FALAMOS DE BOLSA
Home / Blog

Investir na Bolsa em 2020: O COVID-19 Não Existiu!

A bolsa norte-americana continua a surpreender-nos, em particular o seu principal índice: o SP500.

No último dia 22 de Maio, o índice S&P 500 superou uma resistência importante: o nível 61,8 de Fibonacci, situado nos 2 947 pontos.

Em que medida tal resistência é importante?

Em primeiro lugar, importa explicar de onde surgiu. Resultou do movimento descendente entre o máximo histórico ocorrido no último dia 19 de Fevereiro, nos 3 386 pontos, e o mínimo do último dia 23 de Março de 2020, situado nos 2 237 pontos, tal como podemos observar na Figura 1.

Figura 1

As ajudas do banco central norte-americano, em particular o anúncio de que ia comprar ETFs de dívida emitida por empresas, permitiram uma recuperação em “V” do índice sp500; assim, existe uma elevada probabilidade que sejam revisitados novos máximos no decurso das próximas semanas.

Mais uma vez, o banco central norte-americano logrou recuperar a exuberância do mercado norte-americano.

Dá a sensação que os milhões de desempregados causados pela crise Covid-19 nunca existiram!

Desde o final de Fevereiro do presente ano, o balanço da Reserva Federal norte-americano subiu 3 biliões de USD (são 12 zeros, caro leitor)!

Por outro lado, a dívida pública norte-americana subiu aproximadamente no mesmo montante, o que deixa antever que não existiu qualquer poupança privada a suportar esta emissão líquida. Toda a dívida foi adquirida através da impressão massiva de dinheiro.

Para continuar a sua política monetária, no último dia 15 de Junho anunciaram igualmente a compra individual de títulos de dívida de empresas, para além das compras de ETFs.

Entre o mínimo do ano, que ocorreu a 23 de Março, nos 2 237 pontos, e o fecho da sessão do último dia 15 de Junho, nos 3 066 pontos, o índice sp500 registou uma subida de 37%!

No entanto, apesar de tudo, ainda nos encontramos no vermelho, atendendo que o índice sp500 ainda regista uma queda face ao fecho de 2019 (3 231 pontos).

Assim, após o fecho da sessão do dia 15 de Junho de 2020, o índice sp500 registava uma queda de 5% face à cotação de fecho de 2019.

O mercado norte-americano está a dar crescentes sinais de que se encontra claramente sobrecomprado.

Para comprová-lo, analisámos um conjunto de 383 empresas que fazem parte do índice sp500. Como podemos observar na Figura 2, as 5 empresas com maior capitalização bolsista representam 24% do total, algo comparável a 1999.

Nessa altura, encontrávamo-nos em plena bolha tecnológica – aquilo que na altura se denominou loucura “.com”!

Figura 2

Em 1999, já existiam algumas das actuais estrelas, como a Microsoft, nessa altura com uma capitalização bolsista de 600 mil milhões de USD.

Como podemos observar na Figura 3, em 1999, apenas 5 empresas representavam 25% do total da capitalização bolsista.

Figura 3

Na última sessão de 12 de Junho, encontrávamo-nos na mesma situação, com a Apple, a Microsoft, a Amazon, a Berkshire e a Johnson & Johnson a representarem 25% aproximadamente da capitalização bolsista.

Figura 4

Podemos verificar que a capitalização bolsista destas 383 empresas representa o mesmo que o PIB norte-americano, em torno a 21 biliões de USD, dando-nos a percepção do quão impressionante é o desempenho deste mercado.

Outro aspecto que importa aferir é a distância ao máximo histórico em que se encontram a maioria destas empresas.

Assim, na sessão de 12 de Junho de 2020, o índice S&P 500 encontrava-se a 91% do seu máximo histórico – rácio de 3066 ÷ 3 386.

Como se encontram as empresas?

Figura 5

Na Figura 5, podemos verificar que menos de 50% das empresas se encontram próximas do máximo histórico.

O grupo que está a 80% ou mais do seu máximo histórico é constituído por 161 empresas, representando 40% aproximadamente do total.

Estes dados permitem-nos concluir que as subidas do presente ano se concentram no grupo com a maior capitalização bolsista, neste caso aquele que representa 13,5 biliões de USD, de acordo com a cotação do último dia 12 de Junho. A cotação destas empresas encontra-se a 80% ou mais do máximo histórico.

Esta concentração em poucos títulos, ou seja, um conjunto reduzido de valores empurra o índice na subida, é uma importante debilidade do índice sp500.

Por fim, nas próximas semanas, importa verificar se o índice é capaz de revisitar um novo máximo histórico, confirmando a tendência ascendente que tem lugar desde Março de 2009.

Veja também: