Loading...

Blog

ONDE FALAMOS DE BOLSA
Home / Blog

Investir na Bolsa com Osciladores: RSI, MACD e Estocástico

Muitos profissionais da bolsa utilizam indicadores técnicos para tomarem decisões de investimento. A sua utilização pode servir vários propósitos, desde o melhor momento de entrada, à detecção de debilidades de uma determinada tendência ascendente ou descendente.

Investir na Bolsa com Osciladores: RSI, MACD e Estocástico

A maioria destes indicadores serve para medir a velocidade de uma subida ou descida do preço de um determinado activo financeiro, por exemplo, uma acção; é como medir a velocidade de um ciclista que vai a subir uma montanha – tendência ascendente -, ou a descer uma montanha – tendência descendente.

Os analistas técnicos chamam à intensidade da subida ou descida: momentum.

Os indicadores mais utilizados pela maioria dos profissionais de bolsa são o RSI, o MACD e o Estocástico.

O RSI (Relative Strength Index) é um indicador de momentum, usado na análise técnica e que serve para detectar, a partir do preço de fecho de cada sessão, as situações de sobrecompra ou sobrevenda de um determinado activo.

O RSI é exibido como um oscilador (um gráfico de linhas que se move entre dois extremos) e pode ter uma leitura de 0 a 100.

A interpretação e o uso tradicionais dos valores de RSI são os seguintes: valores iguais ou superiores a 70 indicam que um activo financeiro está sobre comprado ou sobrevalorizado; podendo ocorrer a inversão da tendência ascendente ou iniciar-se uma correcção.

Uma leitura do RSI de 30 ou abaixo indica uma condição de sobre venda ou subvalorização, pelo que a tendência descendente poderá inverter-se ou ocorrer uma correcção.

Com podemos observar na Figura 1, a cotação da Apple no final de Janeiro de 2020, indicava que o título se encontrava numa zona de sobre compra, ou seja, o RSI era superior a 70, pelo que constituía um alerta que a tendência ascendente poderia sofrer uma correcção, tal como veio a ocorrer.

Figura 1

Outro indicador muito utilizado pelos investidores é o MACD. Tal como o RSI, trata-se de um indicador de momentum, que mostra a relação entre duas médias móveis do preço do activo financeiro.

O MACD calcula-se a partir da diferença entre a Média Móvel Exponencial de 26 períodos e a de 12 períodos. Para melhor ilustrar o funcionamento deste indicador, podemos observar a Figura 2.

Figura 2

O resultado desta diferença é a linha MACD que aparece na Figura 2.

A linha “Signal”, ou seja, Linha Sinal resulta da Média Móvel Exponencial de 9 períodos do próprio MACD. Quando a Linha MACD cruza a linha de Sinal, como foi o caso no final de Março de 2020 para a empresa Apple, no sentido ascendente, constitui um sinal de compra.

Quando tal cruzamento ocorre no sentido descendente, trata-se de um sinal de venda.

O histograma resulta da diferença das linhas MACD e Sinal; mede a força de uma determinada tendência, quando é positiva e elevada, existe uma tendência ascendente com “força”; o inverso para uma tendência descendente, precisamente o que ocorreu no princípio de Março de 2020 para a empresa Apple.

O terceiro e último indicador é o indicador Estocástico.

Tal como os anteriores indicadores do presente artigo, trata-se de um indicador de momentum, utilizado para gerar sinais de compra e venda, oscilando, tal como o RSI, entre 0 e 100. Para melhor ilustrar, vamos utilizar igualmente um exemplo, tal como podemos observar na Figura 3.

Figura 3

Regra geral, leituras acima de 80 indicam uma situação de sobre compra, enquanto valores inferiores a 20 indicam situações de sobre venda.

No entanto, estes valores nem sempre indicam correcções ou inversões da tendência – as de elevada intensidade podem manter-se em zonas de sobrecompra ou sobrevenda por um período prolongado.

Podemos observar tal situação na Figura 3, desde o final de 2019 até ao final de Janeiro de 2020, a Apple manteve-se em zona de sobrecompra, ou seja, com leitura superiores a 80.

Os gráficos do oscilador estocástico são constituídos por duas linhas: a linha %K, considerada a rápida, e a linha %D, a linha lenta, obtida a partir da média móvel simples de três períodos da linha %K.

O cruzamento das linhas pode indicar situações de inversão de tendência.

Apesar de toda a “teoria” relativa aos sinais de compra e venda, que podem ser obtidos a partir dos ditos osciladores, na verdade os profissionais de bolsa utilizam estes indicadores para detectar divergências.

Essencialmente, existe uma divergência quando a evolução do preço não corresponde à do indicador; desta forma, estas divergências poder-nos-ão alertar para possíveis inversões de tendência, dando-nos importantes alertas acerca da consistência de uma determinada tendência.

Para melhor ilustrar, vamos socorrer-nos de um exemplo, que podemos observar na Figura 4.

Figura 4

Como podemos constatar na Figura 4, a evolução do preço principal índice norte-americano, o sp500, entre o início de Março de 2020 e o final desse mesmo mês, esteve em divergência com o indicador RSI.

Ou seja, a uma tendência descendente do preço não correspondeu a uma tendência descendente no indicador RSI.

Neste caso, existia uma debilidade na tendência descendente, indicando uma possível inversão da mesma.

Existem múltiplas análises de divergências que importa ter em conta na hora de negociar; se deseja conhecer estas técnicas, não hesite em conhecer os programas de formação em bolsa da DIF Broker. Estamos à sua espera!

Veja também: