Voltar ao Blog
O Forex

Para quem está pouco familiarizado com o termo, FOREX (FOReign EXchange market), refere-se a um mercado internacional onde as moedas são compradas e vendidas. O FOREX (FOReign EXchange market), como o vimos hoje teve o seu início em 1970, quando as moedas passaram a flutuar e as taxas de câmbio deixaram de ser fixas. Desta forma o valor de uma moeda passou a ser estabelecido livremente pelo mercado e sujeita ao normal funcionamento da oferta e da procura.

O Forex é um mercado único, graças a um conjunto de factores. Em primeiro lugar é um dos poucos mercados que está verdadeiramente livre de controlos externos e que não pode ser manipulado, porque é o maior dos mercados com cerca de 1 e 1.5 triliões de dólares negociados diariamente. Depois graças à sua liquidez é um mercado que permite a abertura e o fecho de posições no espaço de segundos porque existem sempre compradores e vendedores 24 horas ao dia. Uma outra característica é a variedade de participantes e as respectivas motivações. Enquanto alguns utilizam enormes linhas de crédito procurando diferenciais de curto prazo, outros procuram proteger posições cambiais ligadas à sua actividade principal e outros ainda especulam no longo prazo. Esta combinação de interesses variados faz com que o Forex interesse a investidores de longo e curto prazo porque tem constantes flutuações que o tornam um mercado muito atractivo.

Como funciona?

As transacções não estão centralizadas numa Bolsa, estas ocorrem em todo o mundo graças à tecnologia e às telecomunicações. Em quase todo o mundo existem dealers a negociar e a cotar forex. Um investidor em Portugal pode aceder a estes produtos através de um corretor e utilizando a plataforma que lhe for disponibilizada pode negociar este instrumento nas suas múltiplas combinações de moedas. As mais importantes são EUR/USD o USD/YEN o USD/CHF e o GBP/USD.

O que são estes crosses?

Estes crosses são contratos pela diferença entre uma posição longa numa moeda contra uma posição curta numa outra. Na prática imagine que se dirigia a um banco e pedia um financiamento numa moeda como yen no montante equivalente a 100.000 dólares. Por esse empréstimo ficaria a pagar uma taxa de juro. No momento imediatamente a seguir, pediria para lhe trocarem esses yens nos tais 100.000 dólares, pedindo também para fazer o depósito desse dinheiro pelo qual ficaria a receber juros.

Todo este procedimento está simplificado no cross USD/YEN comprando ou vendendo ao preço que lhe é proposto pelo corretor na sua plataforma, preço esse que é o mais actual negociado nesse momento em todo o mundo. Para tornar este negócio ainda mais atractivo só necessita de ter uma margem de cerca de 5%.

O que é a margem?

Negociar em margem é um termo utilizado quando se está a negociar só com uma parte do dinheiro necessário para a operação envolvida. No caso do Forex é atractivo, porque é suficiente ter 5% do montante necessário para negociar. Os montantes negociados em Forex estão estabelecidos em lotes de 100.000 USD, para os quais só precisa de ter 5000 USD. Não deve nunca esquecer que apesar de só ter necessidade deste pequeno montante a sua responsabilidade é sobre o montante total e não sobre aquele que disponibilizou.

Qual é a vantagem?

A vantagem está nas taxas de rentabilidade que podem ser obtidas. Uma pequena variação de 1% permite uma variação de 25% sobre o montante aplicado, ou seja 1% sobre 100.000 são 1.000 e este montante corresponde a 25% dos 5.000 utilizados.

Estratégias de investimento

As duas estratégias de investimento em Forex são a análise técnica e a análise fundamental. A grande maioria usa a análise técnica, e o seu entendimento é que o preço reflecte toda a realidade da oferta e da procura e como tal pode ser interpretado na sua tendência. Os analistas fundamentais têm que estudar a economia do País numa perspectiva macro económica, e analisar dados como as taxas de juro a inflação, o emprego e tudo o mais o que faz a economia de um País.

Investir em Forex é potencialmente uma das mais compensadoras formas de investir, sendo por isso também uma das mais arriscadas.

Um exemplo concreto de negociação de um cross

Escolhemos para o nosso exemplo um cross exótico ou seja não muito comum na Europa. O NZD /USD ou seja vender Dólar da Nova Zelândia e comprar dólar Americano. O raciocínio para uma operação deste tipo pode ser o seguinte.

1- O preço do cobre e do petróleo tem vindo a descer, aliás como outras matérias-primas. Sendo o cobre um indicador essencial da actividade industrial a queda do seu preço pode ser um sinal de que a economia mundial pode estar a desacelerar. O preço do crude por outro lado tem uma grande influência no movimento dos capitais a nível global. A queda do preço do crude pode ter implicações nos mercados financeiros, reduzindo a sua liquidez, e a redução da liquidez pode implicar uma deflação do preço dos activos.

Posto isto vamos agora considerar que os Hedge Funds e outros investidores institucionais têm efectuado aquilo que é conhecido por ”carry trade” e que é simplesmente o financiamento numa moeda com juro baixo por exemplo o yen (1%) e a aplicação numa moeda de juro alto por exemplo o dólar Neozelandês (7%). Em forex isto corresponde a uma posição de NZD/YEN. Esta posição tem sido ao longo dos últimos anos o que está mais perto de uma aplicação segura. E agora? Agora, o primeiro problema é toda a gente considerar esta aplicação segura, o que em mercados é quase uma garantia de resultado contrário. Se considerarmos os factores referidos sobre o cobre e o crude temos um conjunto de dados que pode levar a um ajuste das posições globais sobretudo nas contas margens. Uma posição curta em dólar Neozelandês e longa em Yen é uma aposta na economia com maior capacidade para enfrentar uma crise, e se ainda por cima esta aposta for considerada uma surpresa então tem o potencial de movimentar ainda mais o câmbio. É só um exemplo.

AVISO LEGAL: A informação aqui apresentada é apenas para fins informativos e não constitui uma recomendação de investimento, convite ou oferta para realizar qualquer operação ou transacção. Esta informação não é um reflexo de posições (própria ou de terceiros) firme dos participantes nos mercados de valores. A DIF Broker não tem em conta objetivos de investimento específicos ou situações financeiras particulares. Também não faz qualquer declaração ou assume qualquer responsabilidade sobre a confiabilidade das informações fornecidas ou perda decorrente de investimentos realizados. Este conteúdo é puramente informativo, portanto, não deve ser utilizado para valorizar carteiras ou ativos, nem servir de base para recomendações de investimento. Para os fins informativos deste blog, as decisões de investimento tomadas com base neste conteúdo são da exclusiva responsabilidade do investidor. As operações feitas em seu nome seguindo as recomendações de uma análise, em investimentos particulares e sem limitação, e alavancados, como o comércio de câmbio e investimento em derivados pode ser muito especulativo e, portanto, gerar lucros, mas também perdas. Antes de fazer um investimento ou efectuar uma transacção, deve considerar a sua situação financeira e consultar o seu / s conselheiro / s financeiros / s, a fim de compreender os riscos e considerar se é apropriado à luz da sua situação. Todas as opiniões expressas estão sujeitas a alterações sem aviso prévio. O conteúdo pode mostrar a opinião pessoal do autor que pode não reflectir a opinião da DIF Broker.
Os CFD são instrumentos complexos e apresentam um elevado risco de perda rápida dinheiro devido ao efeito de alavancagem.
86% das contas de investidores não profissionais perdem dinheiro quando negoceiam CFD com este distribuidor.
Deve considerar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o elevado risco de perda do seu dinheiro.