Loading...

Blog

ONDE FALAMOS DE BOLSA
Home / Blog

Forex: O que é? Como funciona?

Em 15 de Agosto de 1971, o presidente Nixon, então presidente dos Estados Unidos, colocou um final ao Sistema de Bretton Woods, que tinha vigorado desde a segunda guerra mundial.

  • como-funciona-mercado-forex

Em 15 de Agosto de 1971, o presidente Nixon, então presidente dos Estados Unidos, colocou um final ao Sistema de Bretton Woods, que tinha vigorado desde a segunda guerra mundial. Em que consistia? O dólar norte-americano era a única divisa convertível em Ouro; as demais divisas, tinham um câmbio fixo contra o dólar. Com o fim deste sistema, o dólar norte-americano deixou de ser convertível em ouro e todas as divisas passaram ser livremente negociadas no mercado, designado por Forex (Foreign Exchange).

 

Forex: O que é? Como funciona?

 

Trata-se de um mercado não organizado, destinado à negociação de divisas, e que movimenta diariamente 5,1 biliões de dólares norte-americanos (Fonte: Foreign exchange turnover in April 2016). A título de comparação, as bolsas de valores, onde se negoceiam acções, movimentam apenas 84 mil milhões de USD diariamente, ou seja, 61 vezes mais!

A negociação neste mercado realiza-se através de pares cambiais, por exemplo, GBPUSD. Ou seja, a divisa correspondente ao par cambial esquerdo é o GBP e a correspondente ao par cambial direito é o USD. Seguidamente, apresentam-se as principais divisas mundiais, incluindo metais preciosos e criptomoedas:

 

funcionamento-de-mercado-de-forex

O que significam as três letras? As duas primeiras letras indicam o país emissor, por exemplo, GB significa Great Britain, enquanto a terceira letra, no nosso exemplo, o P, indica o nome da divisa, ou seja, Pound. No caso do USD, US significa United States, enquanto o D significa Dollar (dólar).

Quais são os pares cambiais mais negociados? Segundo o estudo Foreign exchange turnover in April 2016, realizado pelo banco BIS, são o par EURUSD (23%), o par USDJPY (18%) e o par USDGBP (9%), que representam cerca de 50% do volume de negociação, tal como podemos observar no seguinte gráfico:

Figura 1

mercado-de-forex-importancia-par-cambial

Como são apresentadas as cotações no mercado Forex? Em primeiro lugar, o preço de um determinado par cambial tem um mínimo de variação, que se define como 1 pip. Vamos então ver alguns exemplos.

  • EURUSD: 1,4321 – significa que a cotação deste par cambial poderá cotar a 1,4322 ou 1,4320; ou seja, 1 pip corresponde a 0,0001;
  • EURJPY: 120,12 – significa que a cotação deste par cambial poderá cotar a 120,13 ou 120,11; ou seja, 1 pip corresponde a 0,01.

Regra geral, 1 pip corresponde a 0,0001, no entanto, existem excepções, como é o caso dos pares cambiais em que o JPY é o par direito, neste caso, 1 pip corresponde a 0,01.

Outro aspecto que importa destacar: o spread bid-ask; o que significa? As cotações são sempre apresentadas com duas cotações: o preço Bid e o preço Ask.

  • O preço Bid é a melhor proposta de compra existente no mercado; ou seja, se um determinado investidor deseja vender, este é o preço mais elevado que irá encontrar;
  • O preço Ask é a melhor proposta de venda existente no mercado; ou seja, se um determinado investidor deseja comprar, este é o preço mais baixo que irá encontrar.

Assim, se, por exemplo, tivermos uma cotação para o par cambial EURUSD de 1,1011 (bid)/1,1012(ask), significa que o par cambial está a cotar com 1 pip de spread, atendendo que a diferença entre o preço Ask e o preço Bid é precisamente 1 pip (0,0001).

Imagem relativa a negociação de Forex

 

De que forma se pode negociar um par cambial? Na verdade, quando estamos a negociar um par cambial, significa que compramos uma divisa e, ao mesmo tempo, vendemos a outra divisa. A melhor forma de compreender esta operação é através de um exemplo:

  • Vamos imaginar que o par GBPEUR está a cotar a 1,2001 (bid)/1,2002. Significa que o activo negociado é a libra esterlina (GBP) e o seu preço está denominado em Euros (EUR), ou seja, para comprar uma libra tenho de pagar 1,2002 Euros (Vendo Euros e Compra Libras); para vender uma libra esterlina (GBP) recebo 1,2001 Euros (Vendo Libras e compro Euros).

A negociação em Forex é sempre realizada com recurso a alavancagem, ou seja, através de um empréstimo na divisa que vendo e de um depósito na divisa que compro. A melhor forma de compreender esta operação é através de um exemplo:

Vamos imaginar que o par GBPEUR está a cotar a 1,2001 (bid)/1,2002. Significa que o activo negociado é a libra esterlina (GBP) e o seu preço está denominado em Euros (EUR). Vamos imaginar a seguinte situação, sem introduzir o cálculo de juros para simplificar a análise:

  • Um determinado investidor abre uma posição longa (compra) no par cambial GBPEUR no dia 1 de Abril de 2019; a quantidade negociada é de 100.000 libras esterlinas (Nota: a quantidade é sempre definida pelo par esquerdo);
  • Ao final de 3 meses, o par GBPEUR está a cotar a 1,2201 (bid)/1,2202; por conseguinte, o investidor decide encerrar a posição longa (venda);
  • No seguinte quadro, mostra-se, de forma resumida, o que seria o equivalente a esta operação através do balcão de um banco comercial:

 

operaçao-do-banco-comercial

Em conclusão, numa operação de Forex o investidor espera que a moeda do empréstimo, neste caso o euro (EUR), se deprecie em relação à moeda do depósito, neste caso a libra esterlina (GBP).

Agora, vamos supor a seguinte situação, o par EUR USD está a cotar a 1,0902 (bid)/1,0903. Significa que o activo negociado é o euro (EUR) e o seu preço está denominado em dólares norte-americanos (USD). A taxa de juro em euros (EUR) é de 3%/ano e em dólares norte-americanos (USD) é de 1%/ano.

  • Um determinado investidor abre uma uma posição curta (venda) no par cambial EUR USD no dia 1 de Abril de 2019; a quantidade negociada é de 100.000 euros (Nota: a quantidade é sempre definida pelo par esquerdo);
  • Ao final de 3 meses, o par EUR USD está a cotar a 1,0507 (bid)/1,0508; por conseguinte, o investidor decide encerrar a posição curta (compra);

No seguinte quadro, realiza-se um resumo da operação:

 

posição-curta-forex

 

Em conclusão, a negociação em Forex, que envolva duas divisas, implica o empréstimo numa divisa, a vendida, e o depósito noutra divisa, a comprada. Para a primeira, o investidor irá pagar juros, para a segunda, irá receber juros.

Regra geral, as corretoras cobram os juros diariamente; no caso do investidor deixar a posição aberta na Sexta-Feira, por exemplo, ocorre a cobrança de juros para três dias, ou seja, Sexta, Sábado e Domingo. Esta cobrança poderá ser realizada da seguinte forma.

  • Debitando a conta do investidor, através da seguinte fórmula: (taxa de juro da divisa comprada – taxa de juro da divisa vendida) × nocional × dias/360; no caso da libra esterlina (GBP) aplicam-se 365 dias;
  • No nosso exemplo, teríamos o seguinte: (0,01-0,03) × 109.020 × (90 ÷ 360) = -545,1 USD; com esta metodologia, não necessariamente igual à explicada anteriormente, o investidor iria obter o seguinte ganho: 100.000 × (1,0902 – 1,0508) – 545,1= 3.394,9 USD
  • Através do ajustamento do preço de abertura do investidor, aplicando-se a seguinte fórmula ao preço de abertura: (1+taxa de juro da divisa comprada× dias÷360) ÷ (1+taxa de juro da divisa vendida) × preço de abertura da posição;
  • No nosso exemplo, teríamos o seguinte: (1+0,01×90/360)÷ (1+0,03×90/360)=0,995037;
  • Seguidamente, aplica-se este ajuste ao preço de abertura: 1,0902 × 0,995037 = 1,0848;
  • Por fim, calcula-se o resultado da operação: 100.000 × (1,0848 – 1,0508) = 3.400 USD.

Banner de Investimento na DIF Broker

Cada corretora aplica o seu método; no caso da DIF Broker, o método utilizado é o último método exposto.

 

No entanto, importa ter em conta que o cálculo é diário, ou para três dias, no caso de posições abertas durante o fim-de-semana; por outro lado, as corretoras aplicam spreads às taxas de juro. No caso da divisa vendida, ou seja, um empréstimo, aplica-se um spread positivo. No caso da divisa comprada, ou seja, um depósito, aplica-se um spread negativo.

Vamos imaginar que se aplica um spread de 1%, tanto aos empréstimos como aos depósitos.

De acordo com o primeiro método anteriormente explicado, a aplicação do spread seguiria a seguinte metodologia:

  • Em primeiro lugar, calculamos o custo de financiamento: [(0,01-0,01)-(0,03+0,01)] × 109.020 × (90 ÷ 360) = -1.090,2 USD (Nota: o spread indicado a vermelho)
  • Em segundo lugar, o resultado da operação seria de 100.000 × (1,0902 – 1,0508) – 1.090,2 = 2.849,8 USD

De acordo com o segundo método, anteriormente explicado, a aplicação do spread seria:

  • Em primeiro lugar, calcularíamos o ajustamento: (1+0,01×90/360)÷ (1+0,03×90/360)=0,995037;
  • Para aplicar o spread, utiliza-se uma margem, negativa, no caso de posições curtas, positiva, no caso de posições longas. Assim, temos (0,995037- 0,005)= 0.990037; seguidamente, aplicamos ao preço de abertura da posição: 1,0793 (0.990037×1,0902)
  • O resultado da operação seria de 100.000 × (1,0793 – 1,0508) = 2.850 USD

Vamos agora abordar o tema da negociação com margem. Regra geral, a negociação de pares cambiais realiza-se através de um depósito inicial, caso contrário, a posição não poderá ser aberta.

Para que serve? Na eventualidade de perdas, a contraparte da operação, neste caso a corretora, pretende assegurar-se que irá cobrar esse valor. Para melhor ilustrar, vamos socorrer-nos de um exemplo:

  • No dia 1 de Março de 2019, um investidor possui na sua conta 10.000 USD. O par cambial EURUSD encontra-se a cotar a 1,1015/1,1016. A corretora deste investidor aplica um spread ±1% ao financiamento de operações em divisas. A taxa de juro do USD é de 2% e a do EUR é de 4%.
  • A corretora aplica uma margem inicial de 3,33% ao valor nocional da posição e uma margem de manutenção de 1,67% ao valor nocional da posição.
  • Assim, decide abrir uma posição curta de 100 mil no par cambial EUR USD, ocorrendo a seguinte evolução ao longo de 10 dias. A corretora tem o direito a encerrar todas as posições, caso a utilização de margem seja igual, ou superior, a 100%.

mercado-de-forex

Passamos agora a explicar cada uma das linhas da tabela acima indicada.

 

  • A Cotação (preço Ask) é o preço de fecho da posição, caso o investidor decida encerrar a posição curta que abrir no momento 0; ou seja, a abertura de posições curtas realiza-se ao preço bid, neste caso, 1,1015 (linha Preço de Abertura);
  • A linha quantidade diz respeito ao montante do activo negociado, neste caso Euros (EUR); tal como anteriormente se indicou, o par esquerdo diz respeito ao activo negociado. No nosso exemplo, o investidor vendeu 100 mil euros a 1,1015 USD;
  • A linha Ganho/Perda Potencial corresponde ao resultado potencial da posição; assim, no momento 0, temos 100 000 × (1,1015 – 1,1016)= -10 USD; ou seja, resulta da diferença entre a cotação de mercado, neste caso o preço ask, e o preço de abertura multiplicada pela quantidade.

Este método aplica-se às posições curtas. No caso de posições longas, ou seja, a compra de Euros, o ganho/perda potencial seria calculado com a seguinte fórmula: Quantidade × (Cotação bid – Preço de abertura). Em relação a posições curtas, a fórmula que utilizámos no nosso exemplo: Quantidade × (Preço de abertura – Cotação ask).

Como podemos observar no nosso exemplo, a cotação de mercado não foi favorável ao investidor, ou seja, o preço subiu o que significa uma evolução desfavorável para uma posição curta, em que a expectativa é de uma descida de preço;

A margem inicial para que serve?

Essencialmente, para evitar a abertura de posições no caso de investidores com pouco capital na conta. Para melhor ilustrar, vamos calcular esta margem no momento da abertura: 100 000 × 1,1015 × 0,03333 = 3 672 USD; ou seja, se o investidor, em lugar de 15 mil USD na conta, apenas possuía 3.500 USD não poderia abrir a posição. Neste caso, o investidor teria de diminuir o valor nocional da posição, por exemplo, 50 000 × 1,1015, ou desistir da operação;

  • A margem de manutenção serve para assegurar que a conta tem capital suficiente para garantir que a posição continue aberta. De que forma foi calculada esta margem: 100 000 × 1,1015 × 0,01667 = 2 203 USD;
  • O numerário é o depósito inicial que o investidor realizou. Este valor é alterado apenas quando ocorre a liquidação de um ganho ou perda numa dada posição. Serve para calcular o valor de conta, como iremos explicar seguidamente;
  • O valor de conta resulta da soma do numerário e do ganho/perda potencial de todas as posições abertas do investidor. Vamos calcular para o período 4: 10.000-3 410 = 6.590 USD;
  • A utilização de margem é calculada através da fórmula Margem de Manutenção ÷ Valor de conta; ou seja, no perído 4, teríamos o seguinte valor: 2 203 ÷590 = 33%.
  • Como foi anteriormente indicado, uma utilização de margem igual ou superior a 100% confere o direito à corretora de encerrar todas as posições abertas.
  • O mesmo se passa para o indicador Valor de Conta vs. Margem Inicial; neste caso, se o valor é igual ou inferior a 50%, a corretora é obrigada a accionar o encerramento de todas as posições abertas do investidor. Ou seja, no dia 8, a corretora deveria ter accionado o fecho da posição aberta do investidor, atendendo que a utilização de margem foi superior a 100%.

Ao longo deste artigo, vamos explicar que estas situações não são lineares, atendendo que existem momentos de mercado em que a situação do período 7 para o período 8 pode ocorrer numa fracção de segundo, pelo que não é garantido que a posição do investidor seja encerrada no exacto momento em que a utilização de margem é igual a 100%.

Vamos agora ver as horas de negociação no mercado de Forex. A negociação de Forex funciona 24 horas ao longo da semana. Cada Domingo, às 22:00 (hora Lisboa), a negociação inicia-se na Nova Zelândia. Cada Sexta-Feira, o mercado encerra às 22:00 (hora Lisboa), hora em que a negociação nos Estados Unidos (17:00, Nova Iorque) termina. No caso das Criptomoedas a negociação tem lugar durante 24 horas, incluindo Sábados e Domingos.

Quem são os principais actores do mercado de Forex? Passamos agora a listar cada um:

 

  • Bancos Centrais
  • “Market Makers”
  • Mesas de tesouria de bancos comerciais
  • Multinacionais
  • Especuladores
  • Investidores de retalho

Os Bancos Centrais são, a longa distância, os principais actores deste mercado, atendendo que determinam as principais variáveis de uma determinada divisa, nomeadamente: quantidade de moeda em circulação e taxa de juro. Em alguns casos, também determinam um preço fixo da divisa. Agora, vamos ver o impacto de algumas destas decisões num passado recente.

No dia 19-11-2010, o então presidente do Banco Central Europeu, Jean-Claude Trichet, ameaçou subir a taxa de juro da zona Euro, por conseguinte, o EUR apreciou-se em relação ao USD, tal como podemos observar na seguinte figura.

taxa-de-juro-zona-euro

Em 2014, a Reserva Federal norte-americana, o Banco Central dos Estados Unidos, anunciou que iria terminar o seu terceiro programa de compra de activos, o que significou uma menor quantidade de USD em circulação, ou seja, o seu balanço reduziu-se. Desta forma, o USD apreciou-se em relação ao EUR.

Tal tendência, foi reforçada no início de 2015, quando o Banco Central Europeu anunciou o início do seu programa de “Quantitive Easing”, consistindo na compra de activos no espaço europeu e, por conseguinte, maior abundância de Euros, gerando maior pressão para uma depreciação do Euro frente ao USD.

Este movimento pode ser observado no seguinte gráfico:

depreciacao-euro

Outros dos riscos que importa ter em conta são intervenções repentinas dos Bancos Centrais. No início de 2015, o Banco Central Suíço mantinha uma paridade fixa do franco suíço (CHF) em relação ao Euro (EUR), ou seja, 1,2 francos suíços por 1 euro. No dia 15 de Janeiro desse mesmo ano, o Banco Central da Suíça decidiu terminar com essa paridade fixa, gerando o completo caos no mercado de Forex; numa fracção de segundo, a cotação do par EURCHF caiu vertiginosamente, desde 1,2 para 0,85 aproximadamente.

Tal como podemos observar no seguinte gráfico:

banco-central-suíço

Para termos a verdadeira percepção de tal movimento, vamos imaginar um investidor que tinha na sua conta 500 mil francos suíços (CHF), no final do dia 14 de Janeiro de 2015. Nesse dia, decidiu abrir uma posição longa de 8 milhões de Euros no par cambial EURCHF, a 1,2002 CHF por Euro (preço ask- compra de Euros). De acordo com as percentagens do exemplo anterior, 3,33% de margem inicial e 1,667% de margem de manutenção, o investidor podia abrir a posição, tal como podemos constatar na seguinte figura.

No dia seguinte, numa fracção de segundos, ou seja, no momento em que o Banco Central anunciou o fim da paridade fixa, a cotação desceu de 1,2 para 0,85; tal movimento, representou uma perda de 2,8 milhões de CHFs, provocando um saldo negativo na conta do investidor de -2,3 milhões de CHFs.

Por este motivo, muitos investidores se afastam do mercado de Forex no momento em que os Bancos Centrais anunciam conferências de imprensa ou anúncios aos mercados, dado o movimento brusco nas cotações que tais intervenções podem causar.

cotações-bolsa

No que respeita aos “Market Makers”, estes têm a responsabilidade de proporcionar liquidez ao mercado, através de propostas de compra e venda. Operam com grandes volumes e tentam obter ganhos através da exploração de pequenas diferenças de preço existentes no mercado.

Os bancos comerciais, a seguir aos Bancos Centrais, são dos principais actores neste mercado, atendendo que ajudam muitas empresas e particulares a realizar recebimentos ou pagamentos em moeda estrangeira; por outro lado, nas operações de carteira própria também realizam especulação em divisas.

As Multinacionais, tal como os “Market Makers”, também negoceiam grandes quantidades, mas não especulam. Utilizam o mercado de Forex para cobrir riscos cambiais, tal como seguidamente iremos analisar. Por exemplo, uma grande companhia aérea europeia que pretenda assegurar-se de uma determinada taxa de câmbio para o par cambial EUR USD pode utilizar o mercado de Forex para o efeito.

Por fim, temos os especuladores (Hedge Funds, CTAs …) e os investidores de retalho. Estes actores essencialmente especulam no mercado de divisas, tentando obter ganhos com o movimento das cotações.

Que tipo de negociação podemos ter no mercado de Forex? Se o propósito é cobrir o risco cambial, o investidor pode ignorar os fundamentais ou análise técnica, atendendo que não está a especular.

A melhor forma de ilustrar esta situação é, mais uma vez, através de um exemplo. Vamos supor a situação descrita na seguinte tabela:

negociaçao-forex

No período 0, um investidor europeu decidiu comprar 300 acções da empresa Apple. Para tal, necessita de 300 000 USD (1000 × 300); assim, necessita de ir ao banco e investir -272 678 euros, convertê-los a USD (-272.678 × 1,1002), obtendo assim 300 mil USD e pagar as acções na bolsa norte-americana, ficando, desta forma, a ser proprietário de 300 títulos da Apple.

No período 1, o investimento correu bem, pois as acções, em USD, valorizaram-se 7% aproximadamente, ou seja, de 300 USD para 320; o seu ganho foi de 20.000 USD.

No entanto, ao vender os títulos em bolsa e receber os USD, necessita de os cambiar a Euros. Ao realizar a conversão, irá receber apenas 246 116 Euros (320.000 ÷ 1,3002), representado uma perda de -26 562 Euros! Como o USD depreciou-se em cerca de 15% em relação ao EUR, a valorização dos títulos em bolsa de 7% não foi suficiente para o investidor obter ganhos. Como pode evitar isto? Através de uma operação de Forex.

Assumindo cálculos simplistas, não considerando custos de corretagem e de financiamento, o investidor teria de abrir uma posição longa no par cambial EURUSD de 272 678 Euros, abrindo esta posição a 1,1002. Desta forma, no momento em que vende as acções no mercado norte-americano, fecha a posição em Forex, obtendo o seguinte resultado: 272 678 (1,3002 – 1,1002) = 54 536 USD; convertidos em Euros, daria 41 944 Euros.

Em conclusão, investiu 272 678 Euros e recebeu 288 060 Euros (272 678 + 41 944), um ganho de 6% aproximadamente. Neste caso, o investidor passou a estar exposto unicamente ao mercado de acções norte-americano, eliminando grande parte do risco através de uma operação em Forex.

Os investidores também podem especular no mercado de Forex, neste caso, podem utilizar duas estratégias: (i) através da análise de fundamentais; (ii) através da análise técnica.

 

No que respeita à análise de fundamentais, importa ter em conta os seguintes aspectos:

 

  • Eventual correlação da divisa com uma matéria-prima
  • Taxa de juro
  • Taxa de inflação
  • Política monetária do banco central
  • Fluxos de capital internacional, os relacionados com o comércio e investimento

Muitas divisas têm uma forte correlação com o preço de determinadas matérias primas. Por exemplo, países exportadores de petróleo, como o Canadá (CAD), a Noruega (NOK) ou a Rússia (RUB), as suas divisas são fortemente influenciadas pela evolução da cotação desta matéria-prima. O mesmo acontece com o Ouro (XAU); o dólar australiano (AUD) e o Rande Sul-Africano (ZAR), estão correlacionados com a evolução do metal precioso, em virtude da exportação deste metal para estas economias. Em conclusão, importa ter em conta a situação de uma determinada matéria-prima, caso esta tenha um importante peso nas exportações de um país.

Tradicionalmente, uma taxa de juro elevada era um sinal de debilidade, pois significava que a taxa de inflação num determinado país era igualmente elevada. A subida da inflação era um sinal negativo para uma determinada divisa.

Agora, funciona precisamente ao contrário: pode indicar que o Banco Central, em reacção a uma subida da inflação, decida subir os juros e, por conseguinte, a cotação dessa divisa sobe. Em conclusão, actualmente, a ameaça de uma subida de juros é muito positivo para uma divisa.

No que respeita à política monetária, importa ter em atenção se um determinado Banco Central está ou não a expandir o seu balanço. O que significa uma expansão do balanço? Basicamente, o banco central emite moeda por contrapartida da compra de activos, podendo ser obrigações soberanas ou inclusive acções, tal como acontece com o Banco Central Suíço. Em conclusão, uma expansão do balanço significa maior quantidade de moeda e, em consequência, uma pressão para a desvalorização da divisa.

Por último, os fluxos de comércio e de investimento. Um dos grandes movimentos dos últimos anos foi a emergência da China como grande potência exportadora. Este factor faria supor uma pressão compradora no Iuane Chinês (CNY): pela exportação de bens industriais, a China recebe dólares norte-americanos convertendo-os seguidamente em divisa local, isto é, Iuanes.

No entanto, tem sido política da China comprar obrigações soberanas emitidas pelo Estado norte-americano, originando um movimento inverso, isto é, compra de dólares e aquisição de obrigações. Em conclusão, se um país tem um grande excedente comercial, regra geral, a sua moeda irá sofrer uma pressão compradora e, em consequência, apreciação da sua moeda.

O mesmo ocorre para países receptores de investimento, tanto de empresas e fábricas, como de activos financeiros, como é o caso dos Estados Unidos. Em virtude de possuir um mercado de capitais muito dinâmico e com um superior desempenho atrai fluxos de capital, colocando pressão compradora na divisa norte-americana.

Outra forma de especular em divisas, consiste em utilizar a análise técnica. Em que consiste este método? Parte do princípio que toda a informação está contida no gráfico; por outro lado, existem padrões que se repetem, bem como linhas de tendência, patamares de suporte e resistência.

Para melhor ilustrar, vamos analisar o gráfico do EUR USD entre Junho de 2018 e Janeiro de 2020. Em primeiro lugar, podemos ver que existe uma tendência descendente de longo prazo, no entanto, esta linha de tendência foi rompida no final de 2019, podendo ser um alerta de reversão de tendência.

Esta linha de tendência encontra-se na seguinte figura:

EUR-USD

Se realizarmos uma análise mais detalhada, vemos que a ruptura que ocorreu da linha de tendência, no final de Dezembro de 2019, foi possivelmente falsa, pelas seguintes razões.

Em primeiro lugar, formou-se uma cunha descendente, constituída pelos pontos A, B, C, D e E, depois de uma tendência descendente, pelo que é expectável que a tendência descendente irá continuar.

Outro sinal que indica a mesma ideia, pode ser obtido a partir do padrão ombro-cabeça-ombro, identificado por círculos na seguinte figura. Este padrão indica que a tendência ascendente, formado pelos pontos A, C e E, pode estar a terminar.

evoluçao-eur-usd

Para terminar o nosso artigo, importa também ter em conta que, para especular, não é suficiente acertar na direcção da tendência, é também importante realizar uma gestão monetária que permita não sofrer liquidações das posições, por incumprimento da política de margens da corretora, por excesso de alavancagem.

O investidor de sucesso deverá formar-se com especialistas antes de aventurar-se pelo mundo de Forex, pois existem múltiplos detalhes que importa ter em conta antes de arriscar o capital.

 

Veja também: